Bandeira vermelha na conta de luz de novembro foi ‘decisão técnica’, diz ministro


Governo acredita que mês será chuvoso e que reservatórios serão preenchidos
 

Com a aproximação do verão vem também a expectativa do retorno da chuva nos principais reservatórios geradores de energia elétrica do país. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, se mostrou otimista nesta segunda-feira (28), ao falar da projeção para os próximos meses. “As expectativas são positivas no sentido do regime de chuvas para o próximo período do verão”, garantiu.

A declaração vem no momento em que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anuncia o aumento na conta de luz. Em novembro, entrará em vigor a bandeira vermelha, patamar 1, no valor de R$4,16 a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Segundo o ministro Bento Albuquerque, a decisão da Aneel foi técnica. “Nós trabalhamos com fatos e o fato é que, nos últimos dois meses, não houve um regime de chuvas dentro da onde ficam os reservatórios. Então, como nós estamos cumprindo a norma, a bandeira vermelha”, explicou.

A meteorologista da Somar Meteorologia, Heloísa Pereira, aponta que, sem a atuação do El Niño, a chuva consegue chegar com maior facilidade ao Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. “E agora essa neutralidade climática que comanda as condições de tempo deve permitir maior frequência e volumes de chuva entre áreas do Sudeste e Centro-Oeste no alto verão. Mesmo assim, não podemos concluir que o déficit hídrico dos reservatório nas principais áreas do Brasil será revertido, já que ele é histórico e também tem relação com a lei da oferta e demanda.”

Na avaliação do governo, o volume de chuva previsto pode ser suficiente para a recuperação das hidrelétricas.

*Com informações da repórter Livia Fernanda